Drogas

A Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas desenvolve e coordena as políticas sobre drogas, com ações voltadas à prevenção, atenção, apoio e reinserção social e profissional de pessoas com problemas relacionados ao uso de álcool e outras drogas. Contribui na articulação intersetorial, apoio e integração às ações de cuidado diante desta problemática na rede de atenção estadual.
O desafio de tratar das questões relacionadas aos problemas de uso de drogas no Ceará exige respostas eficazes do Governo e da sociedade, com ações de promoção da vida, de conscientização e informação, disponibilização de serviços de atenção, orientação, cuidado, qualificação, e estudos e pesquisas.

 

Coordenadoria de Políticas sobre Drogas

Cabe à Coordenadoria de Políticas sobre Drogas a elaboração e implementação da Política Estadual sobre Drogas, com definição de estratégias para o cumprimento das diretrizes nacionais das políticas sobre drogas no âmbito estadual; realizar acompanhamento da execução dos programas, projetos e ações sobre drogas desenvolvidos no âmbito da SPS; promover e colaborar com órgãos e entidades públicas e privadas na realização de campanhas educativas direcionadas a prevenir e reduzir danos relacionados ao uso de drogas; contribuir nos processos de educação permanente e normativas relativos à política sobre drogas no âmbito estadual.

 

Conselhos Municipais de Políticas sobre Drogas

O fortalecimento dos Conselhos Municipais de Políticas sobre Drogas (COMPODs) é uma das ações em que se apoia o trabalho da SPS. Os conselhos são órgãos consultivos, normativos, de deliberação coletiva e natureza paritária. Atuam no assessoramento das gestões municipais, coordenando atividades e desenvolvendo ações referentes à política sobre drogas, fortalecendo iniciativas de promoção à vida e de prevenção ao uso de drogas lícitas e ilícitas.

 

Confira os municípios com COMPOD formados aqui.

 

Prevenção ao uso e abuso de drogas

A prevenção é umas das estratégias mais eficientes para evitar problemas relacionados ao uso de drogas. As ações preventivas devem ser pautadas em princípios éticos e pluralidade cultural, orientandas para a promoção da vida, do bem-estar individual e coletivo, reintegração socioeconômica e valorização das relações familiares.

Neste sentido, a Coordenadoria busca desenvolver ações com crianças e adolescentes nos municípios cearenses reconhecendo a importância da autonomia, cidadania e direitos humanos à juventude, e ofertar um espaço dialógico reflexivo e respeitoso sobre as diferentes questões que permeiam a prevenção aos problemas relacionados ao uso de drogas, contemplando ainda família e comunidade.

Ela visa, também, contribuir com ações que evitem o primeiro uso de drogas, que reduzam o uso, posterguem o início do uso de drogas ou evitem a transição do uso esporádico para o frequente ou abusivo, além de fortalecer os fatores de proteção e reduzir os fatores de risco para uso de drogas atuando em espaços potenciais de abordagem com o público como escolas, comunidades, associações, instituições públicas e privadas, entre outras.

 

Rede de Orientação e Apoio

A Rede de Orientação e Apoio promove atividades periódicas de apoio a pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas (usuário ou egresso de acolhimento/cuidado) por meio de escuta, orientações, troca de experiências e interatividade; disponibiliza informações referentes às políticas sobre drogas; leva orientação e apoio à população dos municípios cearenses por meio de uma unidade móvel equipada e climatizada, com palestras e rodas de conversa para profissionais e estudantes quanto a problemática das drogas.

 

Reinserção social e profissional

Ao criar oportunidades para uma pessoa reintegrar-se ao seu convívio social e profissional, proporciona ações para melhoria da autoestima e valorização da vida, evitando ociosidade e reduzindo novas possibilidades de uso. Esse componente de atuação acontece por meio de articulação de parcerias para oferta de cursos profissionalizantes gratuitos; abordagem, durante a formação profissional, de temas como auto-conhecimento, comunicação eficaz, relações interpessoais e empreendedorismo.

Além de qualificação social e profissional de adolescentes e jovens com atividades que visam, além da formação técnica, desenvolver a capacidade de relacionamento dos jovens com eles mesmos, com a família, a sociedade, bem como a criação de competências; promoção de estratégias que possibilitem a inclusão social e produtiva das pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas.

 

Educação Permanente

A educação permanente é importante para as pessoas atuantes na área das políticas sobre drogas, tendo em vista as mudanças ocorridas nas políticas públicas, em um tema tão complexo. O conhecimento deve ser construído, considerando as novidades e o que já se têm consolidado. O intuito é melhorar a qualidade dos serviços prestados, tornando-os mais qualificados para o atendimento às necessidades da população.

A atualização cotidiana das práticas, seguindo os novos aportes teóricos, metodológicos, científicos e tecnológicos disponíveis, contribui para a construção de relações e práticas interinstitucionais e/ou intersetoriais. Assim, torna-se relevante a realização de capacitações para os diversos atores das políticas sobre drogas, dentre eles conselheiros municipais de política sobre drogas, técnicos e monitores de comunidades terapêuticas, profissionais da rede de atenção.

 

Estudos e Pesquisas

A necessidade constante de atualização, discussão e intercâmbio científico sobre o tema das drogas contribuiu para a criação de um ambiente favorável a estudos e a criação do Grupo De Estudos e Pesquisas de Políticas sobre Drogas (GEPPoD), vinculado à Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas. O componente de estudos e pesquisas tem como intuito proporcionar um ambiente em que pesquisadores, educadores, estudantes e profissionais da área tenham acesso a livros, relatórios de pesquisas, manuais, periódicos na área de políticas sobre drogas; e promover o aperfeiçoamento de profissionais na área das políticas sobre drogas com eventos, reuniões técnicas, cursos e outras atividades científicas;

Visa, ainda, colaborar com a divulgação de eventos, estudos e trabalhos científicos na área das políticas sobre drogas; promover o intercâmbio com profissionais de diferentes formações e entidades afins em âmbito nacional e internacional; prestar consultoria técnica e científica na área de políticas sobre drogas; promover encontros periódicos para a troca de experiências, reflexão e desenvolvimento de estudos a respeito das políticas sobre drogas, com ênfase na prevenção, atenção, cuidado e reinserção social/profissional de pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas.